Dra. Adriana Pereira Gomes Jazra 
(CRP 06/40573-0))
Psicoterapia Corporal




O CONTATO PATERNO


A importância dos pais (figura paterna) 
no desenvolvimento psíquico (corpo-mente) dos filhos.

Muitas vezes, para o homem é difícil expressar 
sentimentos e carinho, devido à antigos 
tabus ainda presente em nossa sociedade, do tipo 
"menino não chora" ou "não brinca de casinha".



Leia Também:

Cuidados com a Coluna (dezembro 00)
A Importância do Contato Materno (outubro 00)
Dores nas Costas, Cansaço Muscular e Desconforto Físico (setembro 00)
Auto Massagem na Gravidez
(agosto 00)
Cuidados e Bem-Estar para o Corpo e a Mente Durante a Gravidez (julho 00)
Maternidade e Plenitude (junho 00)
O Contato Afetivo com o Bebê Começa na Gravidez (maio 00)

 

É interessante notar que a maioria dos artigos sobre criança, ou gestação, o enfoque se volta mais para a figura materna do que a paterna, porém este é também de extrema importância e crucial para o desenvolvimento da criança. Salienta-se aqui, que figura paterna ou materna, não se refere somente aos pais biológicos. Mas sim, aquelas pessoas que cuidam da criança, que possuem um grande vínculo afetivo, convivem com esta e não necessariamente precisam estar morando sob o mesmo teto.

A nossa cultura patriarcal determina que o homem é um ser que precisa ser auto-suficiente, até porque não faz muito tempo atrás ele era o único provedor do lar, era realmente o chefe da casa, e isso se estendia pela sua vida a fora. Os papéis vividos pelas pessoas eram muito rígidos, a esposa era realmente a "esposa", aquela que servia ao seu marido, se voltava aos afazeres domésticos, costurava, rendava, aprendia piano para tocar para a família e nem mesmo podia votar.

Estes arquétipos estão tão arraigados em nossas mentes, que mesmo com toda revolução que houve, liberação sexual e da mulher, muita coisa ainda não é fácil de mudar, além do que não podemos nos esquecer que estamos inseridos em uma cultura e em um meio onde existem convenções e "conveniências" sociais...

Não se que dizer aqui que as coisas devam ser mudadas ou não. O importante é a consciência de nós mesmos e de nosso "universo". Como o assunto aqui se refere aos pais, gostaria de voltar ao objetivo do texto que é falar sobre o comportamento paterno em relação aos filhos e em como tudo isso que foi dito anteriormente influencia o comportamento dos mesmos.

Como já foi falado no artigo "Contato Materno", carinho demais não é mimo, ou é não dar limites à criança, ser permissivo demais, e sufocar a criança fazendo com que ela não se torne um ser independente, pois assim sim essa se tornará um adulto frágil. E um adulto assim será uma pessoa que terá grandes dificuldades de enfrentar as vicissitudes da vida.

O contato corporal faz com que a criança comece a ter noção, consciência de seu próprio corpo, e portanto seu próprio eu, se localizando no espaço e no tempo, construindo sua própria identidade. Além do que esta troca de contato saudável entre filhos e pais fará com que no futuro este ser se torne um adulto muito mais equilibrado.

Existem muitos homens (pais) que têem muita dificuldade em expressar sentimentos, em afagar os filhos, pois já não tiveram esse contato com os pais, ou muitas vezes eles até se permitem acariciar a filha, mas o filho não, temendo que este fique afeminado, porque estes próprios pais aprenderam que para ser homem você tem que ser auto-suficiente e esconder-se numa máscara de "durão", para não mostrar para o mundo e para si mesmo que dentro de si próprio há uma criança vulnerável e carente.

A dica aqui dada a esses pais é que eles possam resgatar esta criança interior que tanto precisa de "alimento" através do contato com seus próprios filhos, brincando, rolando, brincando de boneca, de bola, contando uma estória, trocando uma fralda, dando mamadeira, embalando, cantando e acariciando. No começo parecerá um pouco difícil ao pai se soltar, mas com o tempo este vai se acostumando e vai até gostar muito, pois dando atenção e carinho para os seus filhos você irá resgatar muitas coisas que não teve na infância, como também seus filhos no futuro terão maior probabilidade de serem ótimos pais. 

E se um dia, estes mesmos pais (e mães também) virem seus filhos homens brincando um pouco de boneca, não se preocupe além da conta, pois um dia ele provavelmente será um pai de verdade e isto de maneira alguma irá afetá-lo em sua sexualidade, e assim que passar essa fase ele logo se interessará por brincar com carrinhos, monstrinhos, super-heróis.
Ao saber lidar com o seu "feminino", o homem aprende muito mais a lidar com a sua sexualidade, porque se torna um homem mais inteiro, que sabe realmente o que é ser homem. Sabe que para ser homem não precisa fazer pose de "machão".

Como este é um assunto às vezes delicado, se houver interesse em esclarecimentos, dúvidas ou alguma crítica, envie um e- mail que responderei assim que possivel.

Aviso: As informações contidas neste Web Site, não podem ser usadas como um substituto para se obter aconselhamento 
ou tratamento médico. Os leitores deste Web Site não devem depender exclusivamente das informações aqui contidas. 
Procure sempre um profissional especializado.

 



Copyright© Clube do Bebê 2000/2004