Dra. Daniela Levy (CRP 06/58195-8)
Pós-Graduada (Latu Senso) em Psicologia Clínica Hospitalar pelo
Instituto do Coração - InCor do HC-FMUSP
Pós Graduada em Terapia Cognitivo Comportamental pelo HC-FMUSP


e-mail: danlevy@bol.com.br




Influência da Familia na Obesidade
Infantil e do Adolescente



Nessa nova matéria, a Dra. Daniela vai abordar
os motivos psicológicos que podem levar
crianças e adolescentes a enfrentar
sérios problemas com a obesidade.



Para saber mais sobre Psicologia Infantil, consulte diretamente a Dra. Daniela Levy (vide anúncio abaixo)



Leia Também:

Dra. Daniela Levy:

  A Transformação da Vida de um Casal com a Chegada do Bebê (agosto 07)
  A Influência da Televisão na Formação das Crianças (março 07)
Pais Ausentes (maio 04)
Depressão Infantil  (julho 03)
A Chegada de um Bebê (dezembro 02)
Fraldas ou Troninho
(julho 02)
A Importância do Toque para a Criança (abril 02)
Transtorno Obsessivo Compulsivo na Infância (janeiro 02)
A Importância do Brincar
(novembro 01)
Dormindo no Quarto dos Pais (outubro 01)
Estimulando a Inteligência do bebê (setembro 01)
Seu Filho Deficiente na Escola (agosto 01)
Conversando com Crianças sobre a Morte (julho 01)
Os Limites e Seu Filho
(junho 01)
Pais Separados (maio 01)
A Criança Hiperativa (abril 01)
Distúrbios do Sono em Crianças (março 01)
   Desmame e Pré Escola : O Inicio da Independência
(fevereiro 01)


A qualidade do vínculo entre mãe e filho é um fator que influência na obesidade. Quando a criança não recebe a atenção que necessita da mãe, ou quando a família vive situações de conflitos, a criança terá mais chances de ser obesa.

As mães superprotetoras ou que não conseguem interpretar corretamente as necessidades do filho também podem aumentar os riscos da obesidade. Estas mães, diante do choro ou qualquer frustração, dão mais comida. Algumas oferecem comida com muita freqüencia , como uma forma de compensar o fato de trabalharem fora, diante de culpas em relação a criança, ou quando tem problemas dentro de casa. Muitas destas mães ainda adotam a idéia de que a criança gordinha é a criança feliz e saudável.

A mãe deve observar o comportamento de seu filho e estimular com conversas a capacidade deles em reconhecer seus sentimentos e solucionar problemas, sem ser através do alimento.

As crianças também sofrem enorme influência pelo estilo de vida que a família adota. Basta pensarmos em uma família que passa o final de semana inteiro assistindo T.V e outra que sai para parques, praticam exercícios etc...

Desde cedo os pais devem insentivar a prática de atividades físicas e estimular a criança a se automonitorar: como e o que come, o que sente e como se controla. Ajudar as crianças a ter consciência do que ela quer e quando ela tenta substituir afeto por alimento. Caso perceba que isso está ocorrendo, dê-lhe afetos físicos (carácias, beijos) e verbais (elogios, reforçando os aspectos positivos).

Para combater o excesso de peso, pais e filhos precisam participar do tratamento. Pois como já citado, a família influência muito na alimentação das crianças e adolescentes. É fundamental que os pais acompanhem seus filhos nas mudanças de hábitos alimentares e de comportamentos.

Portanto os pais têm importância fundamental para os desenvolvimentos físico, psíquico e moral de seus filhos, já que são seus primeiros educadores emocionais e nutricionais.
 


Daniela Levy - Psicologia Infantil
(CRP: 06/58195-8)

Rua Borges Lagoa, 1065 - 1o andar - cj. 12
Vila Mariana
Tel
5549-1109
email: danlevy@bol.com.br

Aviso: As informações contidas neste Web Site, não podem ser usadas como um substituto para se obter aconselhamento 
ou tratamento médico. Os leitores deste Web Site não devem depender exclusivamente das informações aqui contidas. 
Procure sempre um profissional especializado.

 



Copyright© Clube do Bebê 2000/2006