UMA AMIGA CHAMADA CHUPETA

Super útil quando o bebê está nervoso e chora 
por qualquer coisa, a chupeta é uma grande aliada,
mas evite que ela se torne o substituto frequente 
dos carinhos e chamegos da mamãe. 


Durante os primeiros meses de vida, os bebês tendem a levar à boca tudo o que eles encontram pelo caminho, inclusive as mãozinhas. É a primeira forma que eles têem a disposição para se conhecerem e também para descobrir o mundo. Além disso, por ser diretamente associado à nutrição, chupar é para o bebê uma extraordinária forma de gratificação. A chupeta o faz lembrar o seio materno, gerador de calor e conforto, além do próprio nutrimento. Portanto, chupar é importante não só para a sobrevivência física do bebê como também favorece o desenvolvimento da sua formação psíquica e afetiva.

Substitue o seio materno
A chupeta, segundo os psicólogos, é um substituto do seio materno, desenvolvendo uma importante função tranquilizante para o bebê. Principalmente quando ele sente falta da mãe, e também quando ele se sente frustrado, triste ou cansado. Além disso, o ato de chupar é inato nos bebês, e se ele não encontra a chupeta, substitue com o dedo da mão ou a ponta de um cobertor, que exercem da mesma forma uma ação consolatória. Porém o ideal é não exagerar no uso da chupeta. Ela não deve ser usada como substituto da mamãe, ou como uma forma de calar o bebê quando ele está chorando, sem antes tentar entender os motivos que o levaram ao choro. A chupeta é somente um instrumento útil para acalmar uma possível e momentânea ansiedade do bebê, que pode ser usada antes dele adormecer e em momentos de certa dificuldade, e não a cada vez que o bebê chorar querendo um pouco de contato mais direto com a mãe. 

Quando parar
Normalmente os bebês abandonam espontaneamente a chupeta perto dos 3 anos. Alguns porém, não querem nem de longe saber de renunciar a esta "amiga"... Se o bebê usa a chupeta de um modo limitado, por exemplo, à noite antes de dormir, não há pressa em fazê-lo abandonar tal costume. Porém, se os pais temem pela saúde dos dentinhos de seu bebê, é bom começar a convencer seu filho a ir gradualmente deixando a chupeta... Para ajudá-lo nesta hora é necessário:
evitar de forma drástica o abandono da chupeta, pois isso poderá provocar uma maior crise de ansiedade.
tentar ir limitando o uso da chupeta a algumas situações críticas, como já ditas anteriormente, quando o bebê está tentando dormir ou quando a mamãe se encontra longe dele.
usar de artifícios suaves para que ele entenda que a chupeta ainda está por perto, caso ele precise dela. Por exemplo, instituindo uma caixinha ou gaveta "porta-chupeta", para que ele mesmo junto com você coloque a chupeta lá dentro, numa espécie de: "Vamos colocar a chupetinha para dormir?"
tentar chamar a sua atenção para outros objetos ou brinquedos, ou então promover algo do tipo "coisa de gente grande" que faça com que ele desvie sua atenção para a nova atividade.

Um erro frequente
Muitas vezes, quando os pais estão tentando fazer com que a criança largue a chupeta, a situação toma uma dimensão um tanto o quanto exagerada... conseguindo com isso fixar a atenção do bebê no "problema chupeta" pelos repetidos esforços em fazê-lo abandoná-la. Na realidade, é melhor prestar mais atenção na relação com a criança, dedicando mais tempo a ela, e tentando criar novos interesses por outras coisas do que ficar batendo na mesma tecla. Talvez para ele ainda não é o momento certo de abandonar a chupeta: repare se o momento em que ele está vivendo esta experiência não está coincidindo com outras mudanças radicais, como o nascimento de um irmãozinho ou a primeira ida à escolinha.

Não prejudica os dentes
A chupeta não costuma provocar nenhum dano irreversível, nem aos aos dentes, nem na arcada dentária, principalmente nos dois primeiros anos de vida de um bebê. Porém, depois desta idade, pode influenciar no desenvolvimento da arcada dentária, favorecendo:
a tendência dos incisivos crescerem tortos e projetados à frente.
que os incisivos superiores e os inferiores não se encaixem.
a tendência que a língua empurre os dentes, quando o bebê engole, em vez de sobre o palato.

Aviso: As informações contidas neste Web Site, não podem ser usadas como um substituto para se obter aconselhamento 
ou tratamento médico. Os leitores deste Web Site não devem depender exclusivamente das informações aqui contidas. 
Procure sempre um profissional especializado.

 



Copyright© Clube do Bebê 2000/2004