Manual da Gestação

A Gravidez Mês a Mês
     O Primeiro Mês
     O Segundo Mês
     O Terceiro Mês
     O Quarto Mês
     O Quinto Mês
     O Sexto Mês
     O Sétimo Mês
     O Oitavo Mês
     O Nono Mês

Calendário Obstétrico

A Dieta na Gravidez

O Parto e a Recuperação

A Hora da Amamentação

O Aspecto Psicológico

Sexualidade na Gravidez

 


Sintomas, sinais e sensações
Importante: você pode apresentar todos ou somente alguns dos sintomas descritos. Além de alguns sintomas que continuam do mês passado.
Físicos: 
  Movimentos fetais fortes e regulares;
  Aumento da umidade vaginal (leucorreia);
  Congestão nasal e sensação de entupimento do ouvido;
  Prisão de ventre;
  Âzia e dificuldade de digestão;
  Câimbras nas pernas;
  Possível inchaço dos tornozelos e dos pés, e às vezes também das mãos;
 
Possíveis dores de cabeça, às vezes desmaios e tontura;
  Surgimento de algumas veias varicosas e/ou hemorróidas;
  Dores nas costas;
  Falta de ar e dificuldades para respirar;
  Insônia;
  Sensação de coceira no abdomen;
  Contrações de Braxton Hicks (vide paragrafo: Algumas Possíveis Preocupações);
  Colostro, que pode gotejar dos seios.
Emotivos:
  Uma certa ansiedade com relação ao bebê e ao parto;
  Períodos maiores de distração e falta de concentração no que se está fazendo;
  Um desejo cada vez maior de que a gravidez termine logo.

Como seu Bebê Cresce dentro de Você
Visão e Audição Desenvolvidos:
O ritmo do crescimento do bebê agora é bem veloz, e a maioria dos orgãos principais já estão funcionando. Toda a estrutura que compõe os olhos está perfeitamente desenvolvida (a iris apresenta uma coloração azulada). Também a audição já se desenvolveu e ele consegue reconhecer a voz da mamãe e do papai. Consegue perceber melhor os sons mais graves que os agudos.

Ele vira de cabeça para baixo:
O espaço que o bebê ocupa agora já não é mais tão folgado, e ele começa a se posicionar de cabeça para baixo, assumindo uma posição mais confortável e que manterá até a hora do nascimento. Com isso, volta a pressionar um pouco a bexiga da mamãe.
Um chutador profissional:
Os movimentos do bebê agora são bem mais ativos, e você conseguirá inclusive distinguir com que parte do corpo ele está chutando. Mesmo com o espaço reduzido, ele ainda chuta, e como!! É possível monitorar os movimentos do bebê contando seus chutes, pelo menos 10 chutes podem ser sentidos a cada duas horas.
Qual é o aspecto do bebê: 
Ao final do oitavo mês, já bem desenvolvido, seu bebê terá aproximadamente 45 a 47 cm de altura e pesará mais ou menos 2250 a 2400 gramas.
Qual é o aspecto da mamãe:
A esta altura da gravidez, você estará já sentindo as contrações de Braxton Hicks, que são contrações fraquinhas e indolores, mas que fazem com que seu corpo se prepare para o parto. Cada gestante apresenta uma barriga diferente: mais alta, mais baixa, mais volumosa, menos volumosa, mais larga ou mais compacta. Isso varia de acordo com o seu tipo físico, com o aumento de peso durante a gravidez, e também com a dimensão do seu bebê. 

Algumas Possíveis Preocupações
Falta de Ar e Dificuldades para Respirar: 
Durante os últimos meses, o aumento de peso e o crescimento do utero podem tornar a respiração mais difícil, mesmo após um simples e pequeno esforço físico, como subir escadas. Na realidade, essas alterações no sistema respiratório durante a gravidez, consentem à gestante inspirar mais ar e usá-lo de forma mais eficiente, e não se preocupe pois isso ar não significa que você ou o bebê recebam pouco oxigênio. Nesta fase, você pode tentar dormir com o espaldar da cama mais elevado para facilitar a respiração, e aproveitar para descansar um pouco mais, evitando esforços físicos.
Contrações de Braxton Hicks:
São absolutamente normais, e de intensidade leve e indolor. Você poderá começar a sentí-las em algum momento durante o terceiro trimestre. Na realidade trata-se do seu utero que está se exercitando para quando iniciar o trabalho de parto. Próximo do nono mês, as contrações de Braxton Hicks começam a ser mais frequentes e mais intensas.
Preparando-se para o Parto:
Antigamente, a expressão "preparando-se para o parto" significava estar com o quarto do bebê já decorado, com o enxoval já pronto, e a mala da maternidade próxima à porta
. As mulheres pouco sabiam sobre o que esperar do trabalho e do parto. Os maridos, então, sabiam menos ainda. Hoje, o parto deixou de ser um assunto totalmente ignorado, e passou a representar algo que as mães e os pais buscam informações e respostas precisas à todas as suas dúvidas e preocupações. Mãe e pai, juntos, querem e devem participar da experiência que é o parto: o esforço da mãe durante as contrações, o amparo do pai na hora da dor, o primeiro choro do bebê, a emoção de cortar o cordão umbelical. Querem e devem também estar preparados para todas as situações que envolvem este momento tão especial e único. O casal que teve a oportunidade de se informar, quer seja em livros, manuais, ou com o próprio obstetra; que participou de cursos preparatórios para o parto, e que aprendeu durante toda a gravidez o que se passou com o corpo da mãe e do bebê, chega ao momento do parto sentindo-se mais seguro e com menos ansiedade. Podendo assim vivenciar um dos momentos mais incríveis da natureza humana. 

 



Copyright© Clube do Bebê 2003/2004 - Web Design by Classe de '84 Produções para WEB