Manual dos Primeiros Anos


A Volta para Casa
     Nós, mães e mulheres
    Nós e nosso bebê
     Nós e nossa família

Alimentação de 0 aos 2 anos
    O seu crescimento
    O primeiro nutrimento
    O início da alimentação
    Alimentação de 1 a 2 anos

Crescimento e Progressos
    Mundo do recém nascido
    Os primeiros três meses
    Dos 3 aos 6 meses
    Dos 6 meses a 1 ano
    De 1 a 2 anos
    Brincadeiras e Segurança

Dicionário de A a Z
    A B C
    D E F
    G H I 
    J K L
    M N O
    P Q R
    S T U
    V X Z

 



  Pernas em Arco
É a impressão que muitas mães tem quando vêem seus filhos dar os primeiros passos: andam com os joelhos um pouco dobrados e que acentuam uma estranha curva em C. Fique tranquila... Isso é absolutamente normal, e se deve ao fato das pernas estarem pela primeira vez sustentando o peso do corpo e ao mesmo tempo tentando manter o equilíbrio. Com o tempo, este "defeito" se corrige naturalmente. 

  Pernilongos
Quer coisa mais irritante que estes insetos que perturbam o nosso sono durante as noites de verão? Para combatê-los existem no mercado uma série infindável de produtos repelentes, mas qual deles é o mais aconselhável para se utilizar na presença de um bebê? Em primeiro lugar, o mais indicado é um mosquiteiro de tule colocado sobre o berço, e também de redes de proteção nas janelas. Existem produtos naturais repelentes a base de citronela que podem ser usados, desde que em concentrações baixas. Evite o uso de sprays repelentes ou qualquer tipo de produto tóxico, principalmente no quarto do bebê. Dê preferência aos aparelhos elétricos com refil.



  Queimaduras Solares
A pele do seu bebê é muito delicada, e se não for adequadamente protegida dos raios solares pode facilmente sofrer uma queimadura solar. Os bebês de pele clara, de cabelos loiros e olhos azuis são os mais predispostos às queimaduras. Mas independente do tipo de pele da criança, use sempre um protetor solar de alto fator protetivo. E leve seu filho à praia nas horas menos quentes do dia (das 8 às 10 e depois das 17), iniciando seu banho de sol de modo gradual, se estiver muito branquinho... 5 minutos, depois 10, depois 15, e assim por diante. Alguns cuidados básicos: leve sempre à praia uma camiseta, um chapéu e um guarda-sol; dê bastante água para evitar uma desidratação, e não esqueça de protejer lábios, orelhas e pés. Se você perceber que seu filho está muito vermelho, volte rapidamente para casa, e aplique um creme após sol. Se a pele estiver muito queimada e a criança tiver febre, consulte imediatamente o pediatra.



  Resfriado
É um problema que aparece principalmente nos meses de inverno, e os mais atingidos são geralmente as crianças de todas as idades, em especial aquelas que frequentam creches ou maternais. O motivo é óbvio: o resfriado é causado por virus, que se difundem principalmente em ambientes fechados (existem mais de 200 tipos diferentes de virus). Portanto, não pense que o culpado pelo resfriado de seu filho seja o frio, a umidade ou as correntes de ar...estas são situações que somente contribuem para tal. Você reconhecerá os sintomas rapidamente: espirros, nariz que pinga, e às vezes uma leve alteração de febre. No caso de um resfriado leve, não há razão para a criança ficar de cama, a não ser que o dia seja particularmente frio então é melhor mantê-la dentro de casa. Evite levá-lo à creche ou escola, pois além do resfriado deixar seu filho mais exposto a possíveis infecções, ele pode provocar a propagação do virus nas outras crianças. 

Rubéola
De todas as doenças infecciosas infantis, é considerada uma das mais leves. Porém é considerada extremamente perigosa se contraída nos primeiros meses da gravidez pois pode atingir o feto e provocar graves problemas e deformações. A rubéola é transmite por via direta, através das gotinhas da saliva, e a criança é considerada contagiosa já da primeira semana, antes mesmo do aparecimento das manifestações cutâneas até o seu total desaparecimento. O período de incubação geralmente é de duas semanas.
Como se reconhece? Um leve mal-estar geral é o aviso inicial antes do engrossamento das glándulas linfáticas atrás da nuca e das orelhas, que provocam dor quando tocadas. A seguir, nota-se o aparecimento de manchinhas rosadas, inicialmente no rosto e no pescoço, depois no tórax, e no final atinge braços e pernas. Às vezes a criança pode apresentar uma febre leve. Se você tem certeza ou a mais leve suspeita de que seu filho contraiu a rubéola, impeça que ele se aproxime de mulheres grávidas. 
À espera do pediatra: Mantenha a criança em casa, para evitar expô-lo a resfriados aos quais ele pode ser momentaneamente mais receptivo. Não existe uma terapia para a rubéola, e em geral é suficiente o repouso na cama para que a doença passe completamente após uma semana, deixando uma imunidade para o resto da vida.

 



Copyright© Clube do Bebê 2000/2004