Manual dos Primeiros Anos


A Volta para Casa
     Nós, mães e mulheres
    Nós e nosso bebê
    Nós e nossa família

Alimentação de 0 aos 2 anos
    O seu crescimento
    O primeiro nutrimento
    O início da alimentação
    Alimentação de 1 a 2 anos

Crescimento e Progressos
    Mundo do recém nascido
    Os primeiros três meses
    Dos 3 aos 6 meses
    Dos 6 meses a 1 ano
    De 1 a 2 anos
    Brincadeiras e Segurança

Dicionário de A a Z
    A B C
    D E F
    G H I 
    J K L
    M N O
    P Q R
    S T U
    V X Z

 


  Um "Estranho" a Conhecer
Durante nove meses você o imaginou, sonhou com ele, e agora ele está aqui, aparentemente frágil, indefeso, totalmente dependente de você. É normal se você se sentir insegura: você aprenderá rapidamente a cuidar e bem de seu bebê. Levará só um pouco de tempo para você se acostumar a ele, aprender a conhecê-lo, a entender suas necessidades. Hesitações e dúvidas se esvairão aos poucos e cada vez mais você sentirá segurança em você mesma.
Como decifrar o seu choro: A primeira situação que a deixará alarmada é o choro. Se na maternidade seu bebê parecia um anjinho, calmo e tranquilo, assim que chegar em casa você vai descobrir que ele é um "gritador" profissional. Ok.... nada de pânico... o choro de seu bebê é o único modo que ele tem de comunicar suas necessidades e sensações. E o faz com toda a intensidade de seu fôlego. E não se acalmará enquanto não for satisfeito. Portanto, mantenha a calma e inicie a "listagem de prioridades":
1) Fome? É o motivo mais óbvio que o faz gritar com tal urgência que nenhum carinho consegue acalmá-lo. Seu bebê só se tranquilizará depois que estiver satisfeito. Se está chorando e já se passaram algumas horas da última mamada, é fome! Evite oferecer água e chás entre as mamadas, pois na realidade não é que sejam nocivos ao bebê,  mas ao sugarem a mamadeira, os bebês podem largar do seio materno, o que seria lastimável, devido ao fato da sucção de mamadeira demandar menos esforço e ser mais fácil. O leite materno, por sua vez, tem menor teor de sódio (SAL) que o de vaca, e o bebê não sentirá sede, mesmo em dia escaldante, desde que mame o seio materno, tendo inclusive sido feitos trabalhos científicos em países de clima quente (África) que comprovam a sua grande eficácia. E se você ainda tiver dúvidas, é só pensar na natureza, pois o homem é o único mamífero que oferece ao seu filhote, chá e água no intervalo das mamadas, não é mesmo? Então, se o bebê mamar e daqui a 15 minutos quiser mamar de novo, ele deverá mamar O SEIO, é o que chamamos de livre demanda, mamadas sem horários rígidos...
2) Dor? Agudo, inconsolável, de repente, assim se caracteriza um choro por alguma dor. Nos primeiros meses são normais as cólicas provocadas por ingestão de ar durante as mamadas. Tente massagear sua barriguinha, mas se você notar algo de muito diferente no seu comportamento não hesite em chamar o pediatra.
3) Agitação? Um recém nascido é "bombardeado"com novos e diferentes estímulos: barulhos, luzes, ambientes, etc.... e em certos momentos de maior tensão ele pode manifestar uma verdadeira crise de choro. Seu bebê está cansado, nervoso, quer um pouco de colo. Alguns bebês choram antes de dormir... não o deixe chorar pensando que assim cairá no sono: ele precisa só de calma e um pouco de carinho.
4) Frio? Muitas vezes quando estamos trocando ou dando banho em um bebê ele começa a chorar. Isso pode ser pela momentânea sensação de frio, mas também pela sensação de nudez repentina. Cubra-o com a toalha para acalmá-lo.
5) Solidão? Sim, pode ser... às vezes ele sente a sua falta e começa um choro imperioso, quase desesperado. Não pense que sejam somente caprichos, pegue-o um pouco no colo, dê um pouco de carinho e atenção, faça-o sentir as batidas de seu coração que logo ele se tranquilizará.  

  Os Ritmos do Sono
Um recém nascido durante seu primeiro mês de vida passa a maior parte do tempo dormindo. Muitos estudos afirmam que em média um bebê dorme um mínimo de 12 a um máximo de 20 horas. É possível dar um ritmo ao seu sono? Durante o primeiro mês é muito difícil, mas com o tempo o sono durante a noite se torna predominante. Muitas vezes porém, pode acontecer que seu bebê troque a noite pelo dia. Aí, você pode tentar inverter esta situação aos poucos: fique com o bebê durante todo o dia no carrinho, levando-o para o berço somente a noite; mantenha as janelas abertas para ele perceber a claridade do dia, e não tente diminuir os barulhos costumeiros da casa e à noite faça o contrário evitando acender as luzes; e quando ele estiver acordado durante o dia faça o possível para mantê-lo assim, brincando, conversando, chamando sua atenção.

  Gêmeos: uma Dupla Felicidade
Organização é a palavra chave. Em primeiro lugar aceite toda a ajuda e colaboração que for oferecida, avós, amigas, vizinhas... Mas tente distribuir as tarefas, pois senão você será invadida por este amável grupo de colaboradoras mas que a cada minuto estarão perguntando o que fazer, aumentando ainda mais a confusão. Tente sincronizar a vida familiar de modo que os gêmeos acordem juntos, sejam amamentados juntos, façam o banho juntos. Pode parecer trabalho duplo, mas se alguém ajudar será uma grande economia de tempo. Para amamentar, você precisará de muitas energias: ofereça um seio a cada um e inverta a posição na mamada seguinte. Se você não tiver leite suficiente, opte pela amamentação mista: dê a um dos bebês a mamadeira e ao outro o peito, e inverta o "turno" na mamada seguinte. No início, os trabalhos com os cuidados com os gêmeos serão dobrados, mas logo logo eles estarão se entretendo um com o outro, você conseguirá respirar com mais alívio, mas em compensação sua felicidade também será dupla.

  Os Cuidados Quotidianos
Cuidar de seu bebê do melhor modo possível é o objetivo imposto por cada pai e mãe. Mas logo no início, principalmente se é seu primeiro bebê, parecemos extremamente desajeitados só de pegá-lo no colo, ou fazemos coisas absurdas como colocar a fralda ao contrário, ou esquecemos coisas óbvias como lavar as axilas na hora do banho. Você se lembra daquelas cenas iniciais do filme "Três solteirões e um bebê"? Pois é.... serve para ilustrar estas situações... Bom, não podemos pretender a perfeição logo nas primeiras vezes, mas aqui vão alguns conselhos práticos:
O banho: muitas mamães preferem dar o banho no bebê no início da noite, pois seu efeito relaxante pode contribuir para um sono mais profundo durante a noite e também porque você poderá contar com a participação e ajuda de seu marido. Deixe tudo à mão: esponja, toalha, sabonete neutro. Antes de iniciar o banho deixe separada a roupa que você irá vestir no bebê. E se estiver frio controle a temperatura do banheiro e veja se não existem correntes de ar. A temperatura da água deve ser verificada, sempre em torno dos 37-38 graus, com o tempo você conseguirá "medir" facilmente mergulhando o pulso na água. Coloque seu bebê com cuidado dentro da banheira, falando com ele suavemente.... lembre-se que ele se sente inseguro com medo quando está nu. Mantenha-o com firmeza, apoiando as costas e a nuca sobre o seu braço esquerdo, segurando com a mão por sob o seu bracinho... assim você terá a mão direita livre para lavar seu rostinho, pescoço, peito, genitais e pernas. Vire-o delicadamente mantendo-o quase de pé e lave suas costas e bumbum. Quando tirá-lo da banheira, cubrá-o com a toalha e não se preocupe se ele chorar... é a reação à mudança de temperatura.
A troca de fraldas: desnecessário falar sobre as vantagens das fraldas descartáveis. Além da praticidade, elas contem substâncias especiais que absorvem a urina não permitindo que fique em contato com a pele do bebê o que favorece o não aparecimento de assaduras no seu bebê. Antes de mais nada, controle que você tem tudo a mão: fralda limpa; esponja, algodão ou lenços umedecidos; água morna; hipoglós; roupa limpa para troca; não esqueça que o bebê não pode ficar sozinho nem por um segundo. Em primeiro lugar limpe a parte anterior dos genitais, com especial atenção nas dobrinhas, e por último limpe a parte posterior do bumbum. Seque bem, passe o creme protetor e coloque a fralda limpa. Uma dica para evitar assaduras, além de uma troca frequente de fraldas, é fazer um creme misturando um tubo de hipoglós com 100ml de óleo de amêndoas, bata no liquidificador e espalhe um pouco nos genitais antes de fechar a fralda. Ajuda bastante...  
Como vestí-lo: vestir um recém nascido parece tarefa fácil, mas quando as perninhas ficam obstinadamente dobradas, os bracinhos imóveis, a cabeça incrivelmente maior que as golas das roupinhas, as coisas parecem se complicar terrivelmente. Para piorar, seu bebê pode demonstrar uma enorme aversão pela nudez, não gostar de se sentir "manipulado" e parecer não colaborar em nada. Eis então, alguns pequenos truques: Antes de mais nada, opte por roupas de simples colocação e que permitam trocar as fraldas sem precisar despir completamente o bebê. Esqueça as belas roupinhas cheias de fricotes, prefira os macacõezinhos "zip-zapt". As mangas não devem ser muito aderentes, e antes de comprar as roupas verifique se a abertura da gola é suficientemente larga. Use sempre babadores pois assim evitará trocar as roupas cada vez que ele regurgitar. E lembre-se que a hora da troca é sempre um momento a ser aproveitado para socializar com o bebê, faça brincadeirinhas, massagens em suas costas e barriga, evitando transformar esta hora em uma obrigação a terminar o mais rapidamente possível.
O primeiro passeio: muitas mães se questionam quando começar a sair com o próprio bebê. Esperar uma semana, 10 dias? De manhã ou a tarde? Se o bebê está bem e você já se recuperou do parto, então nada a impede de passear com seu bebê. O passeio não é uma obrigação, não precisa respeitar horários fixos. Prefira horários em que a temperatura esteja agradável, e evite estradas congestionadas e barulhentas, optando por ruas calmas ou parques. Tente evitar ir a locais fechados com muitas pessoas, como shopping centers.

A Escolha do Pediatra
Seu ginecologista ou seu médico de família podem ser uma boa fonte de informações, ou também outros pais e mães de suas relações, mas o mais importante é a empatia com o pediatra de seu bebê. A primeira consulta será normalmente quando completar um mês de vida. Leve um caderno para anotar as instruções que serão dadas a cada nova consulta e principalmente para você ir anotando as perguntas e dúvidas para as próximas consultas. Durante o primeiro ano de vida, seu bebê passará por um controle mensal com o pediatra, que acompanhará seu crescimento (peso/altura/circunferência crânica), o funcionamento dos orgãos, os problemas referentes ao sono, amamentação, etc. E acompanhará também o calendário das vacinações.

 



Copyright© Clube do Bebê 2000/2004