Manual dos Primeiros Anos


A Volta para Casa
     Nós, mães e mulheres
    Nós e nosso bebê
    Nós e nossa família

Alimentação de 0 aos 2 anos
    O seu crescimento
    O primeiro nutrimento
    O início da alimentação
    Alimentação de 1 a 2 anos

Crescimento e Progressos
    Mundo do recém nascido
    Os primeiros três meses
    Dos 3 aos 6 meses
    Dos 6 meses a 1 ano
    De 1 a 2 anos
    Brincadeiras e Segurança

Dicionário de A a Z
    A B C
    D E F
    G H I 
    J K L
    M N O
    P Q R
    S T U
    V X Z



Divertir e Aprender
A grande curiosidade de seu bebê, o seu interesse por tudo aquilo que está ao seu redor, a vontade de manipular os objetos: tudo isso é "jogo". Para os bebês, o jogo ou a brincadeira é um verdadeiro "trabalho", uma tarefa fundamental para explorar o ambiente e aprender com isso. 
As brincadeiras e seus significados: no primeiro ano de vida, é um excelente exercício físico e psíquico: desenvolve músculos e cérebro, coordenação e memória, capacidades sensoriais e inteligência. E o primeiro e mais divertido brinquedo de um recém nascido é o seu próprio corpo, que ele tateia e descobre com verdadeiros gritinhos de alegria. Mais tarde, quando aprende a engatinhar, tem ao seu redor todo um mundo de objetos a explorar e começa então a colocar em prática o que já sabe fazer e a desenvolver o que ainda tem que aprender. Não aceita mais a sua ajuda, quer isso sim o seu encorajamento, a sua aprovação... isso inclusive dá um sentido afetivo aos seus progressos e às suas conquistas. Depois do primeiro aniversário, seu bebê se transforma de explorador em pesquisador... pois não é mais suficiente explorar nos mínimos detalhes os objetos, mas quer também saber o que pode fazer com ele. Durante horas ele pode ficar repetindo os mesmos gestos, mas na realidade está elaborando conceitos, entendendo o processo de causa-efeito, e aprendendo a inventar algo mais... um importante exercício de criatividade e de desafio para consigo próprio. Depois do segundo aniversário, o bebê precisa do jogo para dominar a realidade. Uma realidade feita de eventos que nem sempre ele consegue entender mas que tem que aprender a adaptar-se e a conviver (quando por exemplo, a mãe se ausenta e ele não entende o porque ela foi embora). E assim, o jogo e as brincadeiras se transformam em um instrumento para desabafar a sua agressividade e as pequenas frustrações, simulando um mundo onde é ele quem decide.

Os jogos mais aptos de acordo com a idade
Para um bebê, brincar significa aprender a crescer. E a medida que as suas habilidades aumentam, o seu modo de brincar se transforma. Os brinquedos mais legais para ele são aqueles que podem ser explorados, que resistem às suas inúmeras experiências e que tenham cores atraentes.
Até os 6 meses: nesta primeira fase de seu desenvolvimento, ele prefere os objetos coloridos e em movimento, como os móbiles pendurados em seu berço. Perto dos 4 meses, prefere os brinquedos que pode "bater", como os cubos de borracha, bolas e objetos de espuma, animais de plástico, que o ajudam a coordenar olho e mão e também a segurar os objetos com os dedos. Lembre-se que os brinquedos devem ser resistentes e grandes o suficiente para evitar acidentes quando ele inevitavelmente tentará saboreá-los.
Dos 6 meses a 1 ano: agora seu filho já sabe fazer muitas coisas. Está já sentado e se diverte em segurar os objetos e atirá-los para longe: é o primeiro sinal que o levará a movimentar-se. Quando começar a rolar no chão ou tentará engatinhar, ofereça brinquedos com rodas ou bolas, pois estimulará a coordenação de seus movimentos nas tentativas de buscá-los de volta ou de lançá-los mais para frente. Brinquedos de borracha que pode morder também são importantes nesta fase em que começam a aparecer os primeiros dentinhos. Uma brincadeira importante é o "achou!!!", pois se você se esconder e reaparecer, aos poucos ele irá entender um conceito fundamental: que a mamãe está sempre presente, mesmo se não a vê por alguns instantes.
Dos 12 aos 18 meses: agora o bebê já aprendeu a andar, é dono da casa, e pronto a transformar qualquer coisa em um brinquedo. Uma brincadeira que o diverte muito é reunir e organizar os objetos, por exemplo, colocando em fila os cubos coloridos. Sente-se também atraído pelos sons: gosta de tambores, pianinhos, xilofones com teclas coloridas, mas também servem as panelas da mamãe que ele adora bater com alegria. Mas principalmente, a imitação é uma ótima forma para inventar novos jogos: ele começará a surrupiar os panos de pó enquanto você estiver limpando a casa, ou brincará com a farinha enquanto você estiver preparando uma torta, ou pegará um pacote de bolachas na prateleira do supermercado enquanto você está fazendo as compras. É o momento de estimular sua criatividade, tomando os cuidados necessários para que não se machuque.
Dos 18 meses aos 3 anos: seu filho é cada vez mais autônomo e agora apreciará os brinquedos com rodas... tricíclos e bicicletas são os favoritos. Agora ele já adquiriu um certo raciocínio lógico e se diverte com os brinquedos de causa-efeito, do tipo que se você aperta um botão se abre uma porta... Por volta dos 2 anos, é provável que ele invente um amigo imaginário e fale com ele em voz alta enquanto brinca sozinho. Não se preocupe, é um acontecimento comum e pode demonstrar a vontade de estar com outras crianças. As brincadeiras dos meninos e das meninas começam a se diferenciar: os meninos preferem os carrinhos e as meninas se divertem com panelas e bonecas. Mas é de gosto comum os brinquedos de encaixe, como por exemplo os quebra-cabeça, excelentes para desenvolver a atenção e as habilidades manuais. Nesta fase, o bebê já consegue reconhecer muitos objetos, e outra brincadeira muito instrutiva é folhear um livro ilustrado, onde ele demonstra toda a sua capacidade de localizar estes objetos, dando o nome correto para cada um deles. 
Jogos de simulação e fantasia: para um bebê, conhecer a realidade significa representá-la. Identificar-se com os outros significa compreender os modos e atividades daqueles que o rodeiam, imitando o papel dos adultos. Próximo dos 18 meses, o bebê em suas brincadeiras finge ser a mãe, muitas vezes vestindo suas roupas e sapatos, ou brincando com seu aviãozinho finge ser o piloto. O jogo de simulação serve para colocá-lo em relação com o mundo das outras pessoas, entendendo as diferenças e estimulando a fantasia. 

Segurança em Casa:
Desculpe-nos, este item em breve estará a disposição.

 



Copyright© Clube do Bebê 2000/2004